O mundo encantado da Disney é legal

O mundo encantado da Disney é legal

Foi uma viagem planejada. Iríamos para Miami e Orlando, num roteiro de 9 dias. Muita excitação, ansiedade, alegria. Éramos duas adultas e quatro crianças. Uma equação um pouco desequilibrada, mas a sorte esteve ao nosso lado.

Eu e Henrique fazendo charme com a Minie
Eu e Henrique fazendo charme com a Minnie
As quatros crianças felizes no Magic Kingdom: Helena, Manuela, Henrique e Bernardo
As quatros crianças felizes no Magic Kingdom: Helena, Manuela, Henrique e Bernardo

As pessoas em geral têm a pré-disposição de achar que a Disney é o lugar mais mágico do mundo. E é, dependendo do seu ponto de vista.

Nossa viagem foi planejada baseada na experiência dos amigos/familiares que haviam ido e nas inúmeras leituras de blogs e guias sobre os parques de Orlando e a maravilhosa geografia de Miami.

Barbara procurando caminhos de uma alimentação saudável no Whole Foods.
Bárbara procurando caminhos de uma alimentação saudável no Whole Foods.

 

Orlando se mostrou uma cidade voltada para as grandes dimensões que a Disney World demanda: estruturada, limpa, sinalizada, organizada, barata (em comparação as outras cidades médias/grandes americanas). Os parques são encantadores e perfeitamente equilibrados para atender uma vasta gama de preferências pessoais. São separados por temas e as nossas escolhas foram: Magic Kingdom, Hollywood Studios, Legoland (para os meninos), Disney Springs (dia das princesas para as meninas) e dois dias na Universal e Island of Adventure.

O nosso carro foi o melhor dos amigos nessa grande aventura. Sem ele, nas dimensões gigantescas de Orlando e Miami, nada se faz. Não dá para ir a pé a quase lugar nenhum. Senta no carro e vai. E nessas cidades é que vemos dois lados de uma moeda girada há alguns anos no mundo moderno: de um lado, os carros americanos têm preços convidativos, a gasolina é absurdamente barata, o seguro é obrigatório (para terceiros, pelo menos), as estradas são cuidadas, maravilhosas. Do outro, temos a elevada emissão de gases poluentes no meio ambiente e o trânsito. Mas de uma coisa tivemos absoluta certeza: quase todos têm acesso ao automóvel, dos melhores aos modelos mais simples.

Legoland

Hollywood Studios

img_0040

img_0039

img_0255

fullsizerender-2

As quatro crianças, foco da viagem, ficaram felizes sim. Ficaram exaustas também. A Flórida é um estado quente em agosto, é verão no hemisfério norte, é duplamente quente e seco. Confesso que esse foi o elemento mais chato de aturar na nossa aventura. Não tinha como pular essa parte… Superamos, todos.

Percebemos também que as crianças se contentam com pouco. Não sei vocês, amigos leitores, mas as nossas crianças muitas vezes desejaram voltar para casa mais cedo e desfrutar dos brinquedos novos ou em algumas vezes – pasmem! – nem irem aos parques. Nosso grupo era formado de dois meninos, de 3 e 8 anos e duas meninas, de 8 e 11 anos. E claro, as amigas Telma e Louise – ops! – Bárbara e Clarissa. Acho que para curtir 5 dias de parque tínhamos que ter ficado em Orlando mais dias e intercalado dias sem nenhuma programação (nenhuma mesmo!). Mas isso era uma característica muito particular do nosso grupo. Nos textos que eu li na internet e nos grupos dedicados a Orlando no Facebook, o pique da galera é outro. O nosso era mais slow motion.

O saldo geral foi muito positivo. Eu adoro os EUA e o American Way of Life.

Boa viagem e boa leitura!

Magic Kingdom

Island of Adventure

Magic Kingdom

dsc02679

dsc02677

Informações úteis:

Passagens aéreas – indico os sites/aplicativos Momondo e Skyscanner. São bons canais de pesquisa para encontrar passagens num bom custo x benefício. Voamos Latam e comprei diretamente da Cia Aérea.

HospedagemHotwire (site de leilão de hospedagem – farei um post somente sobre essa forma barata, simples e boa de comprar sua hospedagem num preço amigo) e Airbnb.

Aluguel do carroSixt

IngressosEasy Turismo (21 2532-4488)

Seguro saúdeIntermac Assistance

 

cropped-1200-×-2802.jpg