Lisboa revisitada: o rio, a praça e o castelo

Lisboa revisitada: o rio, a praça e o castelo

PorClariceMenezes

Chegou a hora de falar de Lisboa novamente. A cidade que me encantou outras vezes continua linda, sedutora e está revitalizada.

Viajar é estender e ampliar o olhar sobre outra cidade, mas também é poder resgatar memórias, rever e reviver o que um dia já nos fez bem. Com Lisboa não foi diferente. Só que desta vez, o momento foi de sentir a capital mais lentamente, desfrutar sem pressa dos percursos e me encantar com os detalhes, pois quando se é jovem, se tem uma visão generalista de quase tudo. A maturidade nos concede um olhar mais atento às nuances, aos tons e entretons.

Em Lisboa não há passeio mais poético que entrar e sair de livrarias à procura de novos talentos ou apreciar antigos, subir a rua do Carmo, virar na Garrett, seguir em direção ao Largo do Chiado, tomar um café na Brasileira, trocar uma ideia com Pessoa…dar mais uns passos e estar ao pé de Luís de Camões. São elementos que preenchem meu imaginário desde sempre, aliás, o de todos, arrisco afirmar. Quem nunca conheceu quem não tivesse lido ou escutado, em toda a sua vida, sobre um tal “comboio de cordas” ou um “amor que dói e não se sente”?

Não há inspiração maior para o viajante que aportar no Rossio e experimentar a história viva e pulsante da praça. Caminhar pela Baixa em direção ao Terreiro do Paço e se impressionar com a grandeza do rio. Depois subir a pé até o castelo e desfrutar da vista do miradouro.

A cidade que já se reconstruiu uma vez está novamente se reinventando, renovando seus espaços. Lisboa respira arte, cultura e oferece uma farta e rica gastronomia, além disso, está orgulhosa, com um astral bom e preparadíssima para receber os milhares de turistas que estão indo para lá, principalmente no verão. Um sentimento de mundo paira sobre Lisboa assim como o seu céu que impressiona pelo azul imenso, incomparável, único.

Confesso que senti grande satisfação em poder revisitar a capital portuguesa, e, decididamente, esse foi um dos destinos mais acertados dos últimos tempos. Obrigada, Lisboa. Eu também estou muito orgulhosa. Tenho certeza de que irei revê-la outras vezes mais.

Até breve e até o próximo post!

 

“Outra vez te revejo – Lisboa e Tejo e tudo… estrangeiro aqui como em toda parte, casual na vida como na alma…outra vez te revejo, mas, ai, a mim não me revejo! ”

(Lisbon revisited, 1926, Álvaro de Campos, in “Poemas”, Fernando Pessoa)

DSC03174
Miraduro do Castelo de São Jorge
20160801_130929
Livraria Sá da Costa, Largo do chiado. Fundada em 1876, é a mais antiga livraria alfarrabista do país.
20160809_115437
Praça do Rossio (Praça Dom pedro I) Tida pelo poeta Fernando Pessoa como o coração de Lisboa, a Praça do Rossio é um ponto de convergência de vias, elétricos e gente. Além disso, está ali o Café Nicola, palco de tantos artistas e poetas, entre eles Bocage, que era frequentador assíduo. Fonte: Lisboa em Pessoa.
DSC02934
Terreiro do Paço (Praça do Comércio)
DSC02919
Portal da Praça do Comércio
DSC03098
Elevador de Santa Justa
20160806_123718
Parque Eduardo VII

 

cropped-1200-×-2802.jpg