Beto Carrero com crianças: realidade x expectativas

Beto Carrero com crianças: realidade x expectativas

PorClarissaBravo

Viajar com crianças é uma tarefa que dá trabalho. Algumas famílias encaram como natural, outras nem tanto.

A nossa família é bem comum, que alterna momentos de felicidade ao ver as crianças felizes e cansaço depois de muitas atividades. E temos que estar sempre atentos se estão alimentados, limpos, saudáveis e de vez em quando felizes. É. Felizes. Porque os meus meninos estão sempre reclamando de alguma coisa. Mas isso faz parte da vida.

Todos os anos, como de costume, escolhemos viajar no período das férias escolares para algum lugar que não conhecemos. As crianças amam conhecer lugares diferentes e eu mais ainda.

A escolha de janeiro de 2016 foi o parque do Beto Carrero e as imediações do lugar. Optamos por ficar hospedados em Balneário Camboriú e conhecer os arredores. Foram 5 longos e cansativos dias, mas igualmente divertidos.

Voo

Saímos do Rio de Janeiro, num voo com conexão em Congonhas. Uma aventura, em especial para o meu pequeno Henrique que, ao ‘transitar’ pelo pátio do aeroporto não aguentou de tanta emoção ao ver vários aviões. Gritava: olha o avião! A todo instante, com direito a efeitos sonoplásticos imitando a decolagem e o pouso. Ou seja, a viagem começou com muitas risadas.

Vista do Rio de Janeiro

Pousamos em Navegantes, aeroporto mais próximo a Camboriú e pegamos um táxi até o balneário. Poderíamos ter fechado o traslado com o hotel ou agência da cidade, o que fizemos na volta. O meu conselho é que trate esse elemento da viagem antes de ir, ainda mais se o seu voo é noturno e porque é mais barato. A ida nos custou inacreditáveis R$ 150,00. Na volta pagamos R$ 110,00 e agendamos horário.

Hotel

Existem várias opções de hospedagem no Balneário Camboriú. Nosso hotel foi o Miramar. Café da manhã bom, funcionários atenciosos, acomodações confortáveis e bem localizado.

Balneário Camboriú

Balneário Camboriú é uma cidade nova, tem apenas 51 anos e parece cenário de filme: cidade limpa, organizada, trânsito difícil, carrões, arranha-céus aos montes, turistas de todos os cantos (especialmente argentinos e paraguaios) e ao mesmo tempo com ares de balneário. A comida é honesta, tipicamente brasileira. O comércio é farto e os preços turísticos. Ou seja, na alta temporada é tudo caro. Preparar o bolso é um dos requisitos básicos. Daria para fazer escolhas mais econômicas, mas o tempo era curto e as crianças precisam se alimentar bem e a gente também.

Os meninos na praia
Os meninos na praia

A praia é boa, com poucas ondas, ideal para a diversão em família. É interessante checar no hotel se a água está própria para o banho. Em janeiro circulou uma virose que causava febre alta, vômito e diarreia. Minhas crianças voltaram com esse legado, mas deu tudo certo.

Beto Carrero

Após colher muitas opiniões em blogs e perguntar aos amigos mais próximos que conheciam o parque, optamos por comprar ingressos para 2 dias. Era janeiro e sabíamos que estaria cheio. Não estava. Estava lotado.

Na fila :-) Beto Carrero

No primeiro dia foi de sol as pessoas se animaram e fizeram filas intermináveis. Não podíamos perder a esportiva e foi isso que fizemos. Entupimos as crianças de protetor solar e fomos curtir o que dava.

Beto Carrero 170

DSC_1657

O segundo dia, podemos dizer que foi produtivo. Estava parcialmente nublado a chuvoso, contribuindo e muito para amenizar as filas. Encaramos as capas de chuva e lá fomos nós!

Descobrimos que nem todos as atrações e shows estavam incluídos nos ingressos. Mas acho que isso é praxe em muitos parques espalhados pelo Brasil e pelo mundo. Uma dica legal é que os ingressos podem e devem ser adquiridos previamente. Sai mais barato. Não optamos pelo ‘fura fila’, que era o mesmo preço do ingresso. No entanto, se você optar por ir na alta temporada e ainda estiver acompanhado de crianças pequenas, vale o investimento.

O parque Beto Carrero é uma iniciativa relevante, de um homem que acreditava poder oferecer entretenimento de qualidade aos brasileiros (e estrangeiros), aquecendo aquela região no sul no Brasil (município da Penha), criando empregos e contribuindo com o desenvolvimento das cidades próximas. Existem pontos que precisam de aprimoramento, como a concentração dos locais de alimentação numa tenda central, assim como os banheiros. O balanço final é positivo, sem dúvida.

Boa viagem!

DSC_1662